Uber e Lyft admitem que estão piorando congestionamentos nas cidades

Estudo avaliou contribuição das empresas de mobilidade em grandes cidades dos EUA, como Los Angeles e São Francisco

Um dos principais argumentos das empresas de carros compartilhados, como Uber e Lyft, defende que o serviço por aplicativo pode reduzir o trânsito da cidade, uma vez que cada vez mais pessoas deixariam de usar seus carros no dia a dia para adotar “as caronas” das startups. No entanto, um estudo encomendado pelas próprias empresas pode dizer o contrário.

De acordo com o The Verge, a Uber e a Lyft procuraram à consultoria de transportes Fehr & Peers para examinar a combinação de milhas de veículos percorridos (VMT) em seis cidades americanas em setembro do ano passado e comparar esses números com o VMT total em cada área no mesmo mês.

Os resultados mostram que a Uber e a Lyft ainda são responsáveis por partes significativas do VMT nessas cidades. Mesmo que o número de carros particulares ainda seja maior que o número de carros cadastrados nos serviços de carona compartilhada.

Boston, Chicago, Los Angeles, São Francisco, Seattle e Washington, DC, são as cidades analisadas pelo estudo, que aponta Uber e Lyft como responsáveis por apenas 1-3% das VMT nas áreas metropolitanas mais amplas de cada cidade. No entanto, ao se aproximar da região central de cada cidade, esses números aumentam, sendo que São Francisco representa 13,4% de todas as milhas de veículos, em Boston, são 8%; em Washington DC, é de 7,2%.

O estudo também analisou as várias fases de um motorista, que com o carro vazio, vaga pela cidade a procura de um cliente e os efeitos sobre o congestionamento. Em média, entre 54% a 62% das milhas de veículos percorridas pelos veículos Uber e Lyft estavam com um motorista e um passageiro no banco de trás, enquanto um terço do VMT ocorre somente com o motorista.

“A pesquisa mostra que, apesar do tremendo crescimento na última década, o uso da TNC ainda empalidece em comparação a todos os outros tráfegos”, diz Chris Pangilinan, diretor de política global do Uber.

“Como a Uber e Lyft aumentam o tráfego na cidade, perde US$ bilhões e prejudica o trânsito, precisamos nos perguntar quais problemas de transporte eles resolvem”, twittou a ex-comissária de transportes de Nova York, Janette Sadik-Khan. “Novos dados das transnacionais mostram que são táxis convenientes, não a revolução do transporte que prometeram.”

Fonte: itmidia.com