Reconhecimento facial da polícia de Londres falha em 81% dos casos

Conclusões questionam legitimidade do uso da tecnologia, que acusa inocentes no lugar de criminosos

Pesquisadores da Universidade de Essex descobriram que o sistema de reconhecimento facial da Polícia Metropolitana de Londres é 81% impreciso, acusando inocentes no lugar de criminosos. Mas para a polícia o sistema só erra uma vez a cada mil.

De acordo com a Sky News, a polícia de Londres não quis explicar como chegou a essa conclusão. O relatório dos pesquisadores cita uma série de questões técnicas e legais e ainda alerta que é “altamente possível” que o sistema seja considerado ilegal caso passe pela justiça.

O sistema foi desenvolvido em 2016 pela NEC, empresa japonesa de tecnologia e usado pela primeira vez no Carnaval de Notting Hill.

O teste realizado pela Universidade de Essex foi encomendado pelo quartel general da Polícia Metropolitana. De acordo com o professor Pete Fussey e o Doutor Daragh Murray que avaliaram a precisão da tecnologia, o sistema só acertou 8 dos 42 casos avaliados, apresentando uma taxa de erro de 81%.

Duncan Ball, vice-comissário adjunto da polícia londrina, disse que a corporação está decepcionada com o resultado negativo do teste. Os pesquisadores ainda afirmam que o uso de reconhecimento facial por parte da polícia londrina infringe direitos humanos fundamentais.

“Nosso relatório conduziu uma análise detalhada, acadêmica e legal da documentação que a Polícia Metropolitana usou como base para os testes de reconhecimento facial”, disse o professor Fussey em entrevista à Sky News. “Existem algumas falhas e se a polícia for levada ao tribunal, há uma boa chance de perderem”.

Fonte: itmidia.com