Manifestantes de Hong Kong usam lasers para bloquear tecnologia de reconhecimento facial

O uso desses lasers dá às fotos dos protestos uma vibração surreal, de ficção científica – mas o que está acontecendo em Hong Kong agora é uma realidade assustadora que pode ter um impacto de longo prazo.

Desde o início de junho, cerca de 1 milhão de pessoas foram às ruas de Hong Kong para protestar contra uma lei que permitiria extradições para a China.

Para evitar a identificação, muitos dos manifestantes de Hong Kong cobrem seus rostos. Mas, de acordo com uma nova reportagem do Washington Post , alguns também usaram lasers de alta potência diretamente em câmeras de vigilância – uma estratégia de protesto de alta tecnologia pretendia confundir os sistemas de reconhecimento facial.

Embora a lei no centro dos protestos esteja atualmente suspensa, se aprovada no futuro, daria a Hong Kong a capacidade de transferir criminosos suspeitos para qualquer jurisdição, independentemente de haver ou não um acordo formal de extradição.

Se Hong Kong puder extraditar pessoas para a China, isso vai borrar a linha que atualmente separa os dois sistemas legais.

Isso poderia levar os cidadãos de Hong Kong a serem submetidos à mesma vigilância rigorosa dos chineses – e alguns comentaristas argumentam que  os sistemas de reconhecimento facial são um sinal de que o controle da China continental sobre Hong Kong já está aumentando.

Fonte: Futurism