Com raras exceções, as estrelas morrem de uma de duas maneiras: elas passam lentamente para anãs brancas ou explodem rapidamente como supernovas.

Mas algumas estrelas parecem morrer temporariamente sem um gemido ou um estrondo – elas simplesmente desaparecem do céu noturno e depois aparecem novamente mais tarde – e os cientistas por trás de um estudo recém-publicado acreditam que esse estranho fenômeno pode ter uma de duas explicações: testemunhando algo novo em astrofísica ou vendo sinais de atividade alienígena.

Na quinta-feira, os cientistas envolvidos no projeto “Fontes desaparecendo e aparecendo durante um século de observações” (VASCO) publicaram seu primeiro estudo no The Astronomical Journal, uma publicação de prestígio e revista por pares. Ele detalha sua busca por objetos que apareceram em pesquisas sobre o céu noturno que datam da década de 1950, mas que não aparecem mais em pesquisas modernas.

Essa caçada mostrou cem objetos vermelhos que surgiram e desapareceram nos últimos 70 anos.

O co-autor do estudo Martin López Corredoira observou em um comunicado de imprensa que a equipe da VASCO não encontrou nenhuma evidência direta ligando as luzes à inteligência extraterrestre – mas o resumo do estudo implica que os autores também não estão descartando a possibilidade.

“As implicações de encontrar [fontes que desaparecem e aparecendo] se estendem dos campos astrofísicos tradicionais às pesquisas mais exóticas de evidências de civilizações tecnologicamente avançadas”, eles escreveram.

Fonte: Futurism