Relatório afirma que nove em cada dez sites de conteúdo adulto compartilham dados dos usuários com outras empresas

Aquele “pornozão” que você acessa (ou não) de vez em quando na internet pode estar sendo monitorado por empresas como Google e Facebook. Essa é a constatação de um novo estudo conduzido por pesquisadores da Microsoft e das Universidades Carnegie Mellon e da Pensilvânia, ambas nos Estados Unidos. De acordo com o relatório, 93% dos sites de conteúdo adulto compartilham dados dos usuários com terceiros, mesmo se o internauta estiver no modo anônimo.

A pesquisa analisou mais de 20 mil sites pornográficos, e a coleta de dados ocorre por diversos serviços. Entre os principais estão APIs e análises do Google, que respondem por 50% dos endereços analisados. Os dados então podem ser usados para elaborar perfis detalhados dos hábitos dos usuários, incluindo seus interesses sexuais, que podem ser compartilhados e vendidos para empresas que disparam publicidade direcionada.

A pesquisa também sugere que o Google e suas subsidiárias gerenciam serviços de rastreamento em cerca de 74% dos sites de pornografia examinados. O Facebook, por sua vez, responde por cerca de 10% desse tráfego. O uso de ferramentas de código e análise não significa que essas empresas utilizam as informações coletadas por esses meios, porém as companhias têm acesso a muitos dados sem consentimento do usuário.

Os modos anônimo e privado geralmente impedem que o navegador salve suas atividades de pesquisa. No entanto, os ISPs, sites e serviços de rastreamento ainda recebem essas informações. Além disso, o modo de navegação anônima não aumenta necessariamente a segurança. Se um site não oferecer suporte à criptografia (apenas cerca de 17% dos sites pornôs analisados ​​o fizeram), suas informações de login ou senha correm o mesmo risco, independentemente se você navegar em particular ou não.

Portanto, os usuários provavelmente serão rastreados sempre que visitarem um dos milhares de sites investigados e, devido a práticas de segurança insatisfatórias, correrem um risco significativo de ter seus dados privados compartilhados ou usados ​​incorretamente.

Fonte: pcworld.com.br