FBI alerta usuários de plataformas de namoro para fraudes

Golpes desse tipo já movimentaram milhões de dólares nos últimos anos

O FBI, um dos principais órgãos de segurança nacional dos Estados Unidos, emitiu, na última segunda-feira (05), um aviso para que os cidadãos fiquem alertas ao se envolverem com alguém através de sites e aplicativos de namoro.

É que, até então, mais de 33 mil pessoas prestaram queixa para a polícia norte-americana alegando que foram vítimas de golpes dentro dessas plataformas. Segundo investigações, em 2017, aproximadamente 221 milhões de dólares foram movimentados nesse tipo de crime e o número subiu quando, em 2018, foram 362 milhões de dólares envolvidos.

Por padrão, o golpe é aplicado por um criminoso que alega ser um norte-americano vivendo fora de seu país de origem. Durante meses, a pessoa do outro lado da tela vai construindo uma relação de bastante intimidade com a vítima, que acredita estar em uma espécie de relacionamento recíproco. Com o passar do tempo, o criminoso convence o usuário a enviar, até mesmo, presentes de grande valor monetário. A vítima, muito envolvida com a situação, não percebe que não passa de uma fraude e atende aos pedidos do desconhecido.

Até que, depois de muita manipulação, o golpista finge estar passando por problemas com dinheiro para se manter no exterior e pede ajuda financeira para o usuário inocente, que dá – e acaba ficando sem o(a) companheiro(a) e sem o dinheiro de volta. Em casos mais graves, a vítima chega a abrir conta conjunta com o criminoso para facilitar os pagamentos e, a partir daí, tem seus dados utilizados para lavagem de dinheiro e outros tipos de crimes.

O comunicado do FBI pede que os usuários se protejam e tomem medidas para evitar que sejam enganados por desconhecidos. Uma forma fácil para verificar se a pessoa do outro lado da tela está falando a verdade é jogar a foto que ela utiliza em seu perfil na Busca por imagens do Google e fazer uma pesquisa reversa. Na grande maioria das vezes, criminosos não expõem fotos pessoais e isso ficará claro quando o resultado da pesquisa mostrar uma pessoa com nome, idade e localização diferentes das alegadas pelo golpista.

O alerta foi emitido para cidadãos norte-americanos, mas pode ser facilmente aplicado para usuários ao redor de todo o planeta. Portanto, se atente aos dados e não seja mais uma vítima.

Fonte: pcworld.com.br