Facebook abre código de tecnologia para combater exploração infantil online

O que o Facebook está abrindo é o código da tecnologia que consegue detectar vídeos e fotos idênticas e quase idênticas. Essas mesmas ferramentas são importantes para detectar e impedir que indivíduos compartilhem conteúdo de exploração que são usuais, entre outros conteúdos nocivos, como propaganda terrorista ou vídeos gráficos ao vivo.

Facebook anunciou nesta quinta-feira (01/08) que está abrindo o código de suas tecnologias de correspondência de vídeo e foto, conhecida como “video-and photo-matching”, para a indústria em busca de melhoras práticas para aumentar a segurança na internet, em especial, visando esforços para proteger crianças contra a exploração online.

“A luta contra a exploração infantil é maior do que apenas os esforços de uma empresa – ela exige que trabalhemos juntos como uma indústria”, assinam Antigone Davis, Chefe Global de Segurança e Guy Rosen, VP de Integridade, em comunicado à imprensa.

O Facebook informa que os algoritmos serão os primeiros de seu tipo a terem códigos abertos no GitHub para uso entre parceiros do setor e organizações sem fins lucrativos que possam ajudar a identificar e tomar alguma ação, com mais facilidade, contra um conteúdo que tenha sido previamente identificado, bem como compartilhar hashes de diferentes tipos de abuso.

A tecnologia de correspondência de vídeo foi desenvolvida em conjunto com a equipe de Pesquisa de Inteligência Artificial do Facebook (FAIR) e acadêmicos da Universidade de Modena e Reggio Emilia, na Itália.

Como o Facebook identifica conteúdo nocivo

As tecnologias de vídeo e foto matching fazem parte de um conjunto de soluções o Facebook utiliza para detectar conteúdos que exploram crianças, ao mesmo tempo que impede que o conteúdo seja compartilhado nas redes sociais. Machine learning e inteligência artificial também são aplicados. “Uma vez que nossa equipe detecta um conteúdo deste tipo, nós relatamos as violações ao Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas (NCMEC) que, por sua vez, trabalha com agências de segurança pública em todo o mundo para ajudar as vítimas”, informam os executivos.

O anúncio da abertura das tecnologias coincide com o quarto hackathon anual de segurança infantil da indústria, que acontece na sede do Facebook, em Menlo Park na Califórnia (EUA). O evento de dois dias reunirá quase 80 engenheiros e cientistas de dados das empresas parceiras da Technology Coalition e outras instituições para desenvolver novas tecnologias que ajudem a proteger as crianças.

“Os hackathons são uma forma interessante de reunir pessoas de diferentes organizações e com uma variedade de conhecimentos para construir ferramentas que combatam a exploração sexual online de crianças. Todos os códigos e protótipos desenvolvidos no evento serão doados de volta aos nossos parceiros e usados ​​em seu trabalho em prol da segurança de crianças”, finalizam os executivos.

Fonte: itmidia.com