‘Duende Verde Francês’ consegue atravessar o Canal da Mancha de flyboard

Piloto havia falhado em sua primeira tentativa

Se, no dia 25 de julho, Franky Zapata lamentou sua falha ao tentar atravessar o Canal da Mancha com o auxílio de uma Flyboard Air, agora ele só tem motivos para comemorar: o “Duende Verde” conseguiu atingir a meta apenas uma semana e meia depois de sua primeira experiência.

Dessa vez, o inventor decolou de Sangatte, na França, e pousou onde já pretendia descer na tentativa anterior, em Dover, na Inglaterra. Assim como na outra oportunidade, Zapata calculou que demoraria cerca de 20 minutos para concluir o trajeto e assim o fez. Foram 22 minutos de travessia, com o Duende Verde atingindo, aproximadamente, 170 km/h nos picos mais velozes de seu invento.

Zapata ainda precisou parar para reabastecer sua Flyboard Air, momento em que, na tentativa anterior, ele se desequilibrou da plataforma do navio e caiu no mar. Porém, na segunda vez, o Duende Verde escolheu um caminho alternativo e uma plataforma maior para garantir que não falhasse nesses aspectos novamente.

Foi assim que o inventor conseguiu atingir sua meta no último domingo (04). “Nós fizemos uma máquina há três anos e agora nós cruzamos o canal [da Mancha], é uma loucura”, disse Zapata empolgado. Em 2016, o Duende Verde já havia estabelecido um recorde mundial ao realizar o voo mais longo em uma hoverboard, quando pilotou, por mais de 2 km na costa sul da França, seu invento voador.

Fonte: pcworld.com.br