Tecnologia de edição genética será usada em teste por duas empresas da área médica nos EUA

Cientistas pretendem recorrer à polêmica técnica de edição genética CRISPRpara restaurar a visão de pessoas que possuem uma forma de cegueira hereditária, conhecida como Amaurose Congênita de Leber. Segundo informações reportadas pela Fast Company, cerca de 2 a 3 crianças a cada 100 mil nascimentos nos Estados Unidos são portadoras da doença que mantém o nível de visão muito limitado.

Pessoas diagnosticadas com a doença não possuem o gene responsável por converter luz em sinais para o cérebro. Sem este gene, as informações de “leitura” da luz não são feitas e, consequentemente, essas pessoas terão limitações para ver. A esperança é que, ao adicionar este gene através de um tratamento único com a técnica CRISPR, editando permanentemente seu DNA, pacientes voltem a enxergar.

O tratamento com a tecnologia CRISPR deve encontrar aqui um bom teste para ser aplicado em seres humanos. Isso porque, segundo informações da agência de notícias AP, já há algumas provas sólidas de que a doença ocular hereditária é tratável em um nível genético. Graças a uma terapia chamada Luxturna, que se encontra no mercado, cientistas agora sabem que injetar um gene substituto em células na retina pode curar danos. Dessa forma, o que se acredita é que o CRISPR poderia funcionar de maneira semelhante ao entregar um novo material genético ao olho comprometido.

De acordo com a Fast Company, as empresas da área médica Editas Medicine e Allergan vão testar o tratamento em até 18 pessoas em hospitais nos Estados Unidos, a partir do quarto semestre deste ano. Os testes serão feitos com crianças de pelo menos 3 anos de idade e adultos com estados de visão variados.

Esse será o primeiro teste da técnica CRISPR a ser feito em seres humanos já nascidos. No ano passado, um cientista chinês afirmou ter usado a controversa tecnologia para alterar o DNA de dois embriões, que receberam os nomes de Lulu e Nana. Com a mudança de DNA feita em seres humanos já nascidos, as mudanças teoricamente não serão herdadas por nenhum filho.

Fonte: itmidia.com