Cientistas fabricam vodka com grãos de Chernobyl

Os cientistas produziram uma garrafa de vodka usando água e grãos da Zona de Exclusão de Chernobyl, em torno do infame reator nuclear derretido de mesmo nome.

Eles fizeram apenas uma garrafa de vodka, que os cientistas da Universidade de Portsmouth chamaram de ATOMIK, relata o Gizmodo . ATOMIK não é radioativo, então não é mais perigoso beber do que qualquer outra marca. Mas dito isso, a ATOMIK é o primeiro produto a sair da zona de exclusão, e os cientistas por trás do projeto esperam que isso inspire mais equipes a fazer melhor uso da área.

Território De Recuperação

Antes da destilação, os grãos eram considerados radioativos demais para serem consumidos com segurança, segundo o Gizmodo . Mas o processo de fabricar vodka removeu quaisquer impurezas radioativas, de modo que a ATOMIK não representa mais uma ameaça nuclear do que Smirnoff ou Svedka.

As autoridades ucranianas ficaram felizes em ver as pessoas reclamando e fazendo uso da terra na zona de exclusão. Olek Nasvit, primeiro vice-chefe da Agência Estatal da Ucrânia para a Gestão da Zona de Exclusão, disse em um comunicado de imprensa que ele saúda qualquer coisa que use terras abandonadas para ajudar as comunidades locais.

“Eu chamaria isso de bebida de alta qualidade”, disse ele no lançamento. “Não é típico de uma vodka mais altamente purificada, mas tem o sabor do grão dos nossos métodos originais de destilação ucraniana – eu gosto disso”.

Fonte: Futurism