Pelo menos, para usuários do iPhone nos Estados Unidos. Lançamento para outros mercados, incluindo o Brasil, não foram anunciados

O tão aguardado cartão de crédito da Apple, o Apple Card, chegará aos primeiros usuários no iminente mês de agosto.

Desde maio, quando a Apple disponibilizou o beta do iOS 12.4, a expectativa era de que o cartão logo chegasse, uma vez que a Apple prometeu em seu anúncio oficial, em março, de que ele seria entregue no “verão” da América do Norte. Mas com a chegada do iOS 12.4 em 22 de julho, não havia nenhum sinal do novo meio de pagamento. Nesta quarta-feira (31/07), durante a divulgação dos resultados financeiros do trimestre da Apple, Tim Cook confirmou o lançamento para agosto.

Como funciona o Apple Card

Os usuários de iPhone poderão se credenciar para utilizar o Apple Card a partir da própria carteira digital do iPhone. Lembrando que, ainda não há uma data para a novidade estacionar entre as economias e compulsões consumistas de brasileiros e de outros mercados.

Apesar de funcionar digitalmente, o Apple Card também virá na forma de um cartão físico de titânio. Ele não terá um número de cartão tradicional de 16 dígitos, código CVV ou data de vencimento. Em vez disso, gerará esses números aleatoriamente durante cada transação. O cartão é emitido pela Goldman Sachs e roda na rede da MasterCard. De muitas maneiras, o cartão atua como um cartão de cashback, que devolve quantias de dinheiro para usuários e conta também com recursos únicos de software e privacidade. A PC World Brasil preparou um FAQ completo com as principais dúvidas sobre o novo cartão da Apple.

Por que só agora o lançamento?

Segundo informações da Bloomberg, o projeto para o Apple Card se dividiu entre a Mastercard e Goldman Sachs por razões das quais você pode imaginar.

A Apple desenhou o cartão e ela mesma irá lidar com a interface de software para iPhones. Já o Goldman Sachs é responsável pela infraestrutura que sustenta o pagamento, lidando e gerenciando com as transações de dados e coletando informações para relatórios mensais. Segundo a Bloomberg, o banco conta atualmente com dúzias de pessoas trabalhando no Apple Card no escritório de Manhattan, além de funcionários dedicados em escritórios satélite, revelaram fontes próximas ao projeto. Já no lado da Apple, o projeto é conduzido pelas equipes do Apple Pay e Wallet.

Entretanto, apesar de parecer haver uma divisão bem resolvida entre o projeto, a Bloomberg reporta que nem tudo foram rosas para o Apple Card nos últimos dois meses. “Na ocasião, a Apple informou ao banco que não estava contente com algumas mecânicas do cartão e pediu por mudanças. A pressão caiu sobre as equipes da Goldman Sachs a medida que o cartão se aproximava da data de lançamento”, indica a reportagem.

Fonte: itmidia.com