App se inspira no Tinder para conectar doadores a instituições

Plataforma foi desenvolvida pela startup brasileira Solar Social

No ar há dois anos, a plataforma Solar Social surgiu da necessidade que o fundador, Leandro Pato, sentiu de criar um meio pelo qual voluntários pudessem ajudar, de forma simples, transparente e fácil, instituições que atendem pessoas com diversos tipos de carências.

A história começou muito antes, quando, em 2010, Pato criou o Solar Social, um projeto que visa realizar eventos de inclusão e solidariedade que unem cultura, música e esportes. Até que, em 2017, o fundador percebeu que, por mais que as pessoas quisessem auxiliar, elas não sabiam como. Daí a ideia de criar uma plataforma para promover conexões entre quem quer ajudar e quem precisa ser ajudado.

“Percebi que muita gente queria ajudar, mas não conseguia encontrar instituições sérias. Por outro lado, muitas instituições precisavam de ajuda, mas não sabiam como chegar até os doadores. Foi aí que resolvemos investir nessa plataforma”, explica Pato.

Até agora, 120 causas já foram cadastradas e, no total, aproximadamente 10 mil reais foram arrecadados. Segundo o fundador, a intenção é que esses números cresçam cada vez mais. “Começamos a divulgar a plataforma e acreditamos em um crescimento tanto nas entidades atendidas quanto no valor arrecadado”, conta.

Apesar da taxa bancária de 8,5% dos valores doados – que fica com o banco –, Pato diz que a startup não cobra nenhum encargo extra dos doadores. O próprio projeto ainda pode receber ajuda financeira de quem desejar contribuir, mas nada obrigatório.

Como ajudar alguma entidade?

Para contribuir é fácil: basta acessar o site, cadastrar seus dados e buscar pelo nome da causa – caso você já saiba – ou a categoria de seu interesse e área aproximada, para encontrar as instituições. Depois disso, é só escolher uma dentre as resultantes e conferir quais são as necessidades que ela possui. Logo após, ficam disponíveis os horários de funcionamento, contato e rota para quem quiser se voluntariar e ajudar presencialmente.

Para doações financeiras, existe um box com valores e opções de pagamento, acompanhado de informações sobre a distribuição do dinheiro e prestação de contas para os contribuintes. “Para quem preferir, oferecemos o contato das ONGs. Se quem quiser doar não quiser fazer pela internet, também pode entrar em contato direto com as organizações”, afirma o fundador da startup.

Como ser uma entidade cadastrada?

Para as instituições interessadas em fazer parte da rede da Solar Social, é preciso que elas preenchem um formulário com seus dados, que passarão por um processo de triagem e avaliação, que inclui, entre outros itens, a análise do trabalho realizado e os resultados obtidos.

Fonte: itmidia.com